Sebrae ensina como identificar, e investir, em publicidade gastando apenas o que cabe no orçamento empresarial

Texto: Vitor Giglio
Imagens: Divulgação

Propaganda é sim a alma do negócio. Entretanto, muitas modalidades de divulgar os produtos e serviços oferecidos estão além da realidade de uma empresa. Já vimos em Car Stereo Profissional, em artigos anteriores, que além de uma porcentagem mensal da receita da empresa, deve ser aplicada esporadicamente uma quantia de seus lucros, a fins de investimento, para que os ganhos com o trabalho ajudem a multiplicar o crescimento exponencial do empreendimento.

 Acontece que cada empresa possui uma distinta realidade e, para algumas, a quantia designada para publicidade acaba não sendo o ideal, ou pelo menos os resultados alcançados com este investimento não se mostram os ideais. Para oferecer uma luz no final do túnel para empreendedores que se veem atados a esta realidade, conversamos com o consultor do Sebrae-SP Gustavo Carrer. Especialista em marketing, Gustavo explica que o uso da sabedoria pode criar novos horizontes no que diz respeito a divulgar os produtos e serviços. “Quando falamos que uma empresa investe pouco em publicidade, isso pode ser relativo, pois o que é pouco para um, pode não ser para o outro.

O que é regra é que este investimento não pode comprometer as finanças de maneira negativa e, por outro lado, também é algo que não pode em hipótese alguma ser cortado. Por isso, para quem trabalha com orçamento de publicidade restrito, aconselhamos a utilização da criatividade”, introduz.

Seletividade

A grande empresa tem na mídia de massa um de seus mais importantes e essenciais meios de comunicação com o público. Porém, sabemos que não é essa a realidade das empresas menores. O que fazer então? “A empresa menor precisa restringir geograficamente seu alcance, e a partir de então elaborar uma comunicação dirigida, que pode ser definida a partir da utilização de dados que ela deve possuir, tais como cadastros e bancos de dados de clientes, para então se comunicar com estes potenciais clientes por meio de mídias específicas”, afirma.

Carstereo_profissional-150_web-79

“Quanto menor a empresa, mais sensíveis elas costumam ser com relação às variações de mercado e é aí que entra a importância da comunicação constante com o público por meio destas mídias específicas, que podem ser as redes sociais, panfletos entregues nas ruas ou mesmo catálogos disponíveis em outros comércios da região em que atua”, garante.

Opção

Outra opção, mais complexa, e tão ou mais eficaz, é definir quanto irá custar para a empresa uma campanha de publicidade ao longo de 12 meses e incluir esta despesa no seu balanço mensal. “Muitos empresários investem em publicidade só quando caem as vendas. Acontece que a resposta para este tipo de incentivo é de certa forma demorada, então não se trata de uma solução para hoje, e sim para o amanhã”, afirma.

“Para se ter uma ideia, costumamos calcular que o resultado para uma ação de marketing costuma demorar 90 dias para trazer os primeiros resultados”, completa. Já para ações mais simples, aquelas que são feitas no dia-a-dia, nas ruas, na porta da loja e em centros de consumo espalhados pelos bairros, é mais rápida. Você divulga uma promoção hoje, hoje mesmo as pessoas irão comprar. Amanhã, provavelmente, ainda mais”, garante.

Para Gustavo Carrer, o segredo está em usar bem os recursos disponíveis e com inteligência. “É dar o recado certo para a pessoa certa. Essa é a função da comunicação dirigida, seja ela uma mala direta, um panfleto ou a internet”, completa. “Especialmente a internet que tem um custo muito baixo”, finaliza.