Especialista do Sebrae-SP dá dicas de fachada, vitrine e demais aspectos visuais em uma loja

Texto: Vitor Giglio
Imagens: iStock Photo

Em artigos anteriores abordamos aspectos que os lojistas precisam considerar a fim de atrair novos clientes para seu estabelecimento. Agora, conversamos com Fábio Azevedo, especialista do Sebrare-SP, que dá algumas ficas práticas sobre como planejar corretamente a comunicação visual, incluindo aí a fachada, a vitrine, a limpeza e organização do ambiente, o uniforme dos profissionais, decoração de sala de espera e outros detalhes. “Além da limpeza do local, a organização também é um ponto importante.

Em uma loja de serviços, como a de instalação de acessórios, por exemplo, é fundamental que se tenha muita organização antes, durante e depois da execução dos serviços, a fim de criar toda comunicação de qualidade que pode ser transmitida – desde o uniforme dos funcionários, as ferramentas limpas e organizadas, até a área de execução do serviço devidamente limpa, demarcada e organizada”, afirma Fábio. Confira, a seguir, entrevista com o consultor.

Car Stereo Profissional: Até que ponto o aspecto visual é importante para o êxito de uma loja do varejo?

Fábio Azevedo: Primeiramente quando falamos da fachada e vitrine na verdade estamos tratando da comunicação visual externa da loja, que é importante para alinhar a proposta da empresa em relação ao seu público-alvo e tipos de serviços que serão executados neste ponto de venda. Saber do posicionamento de mercado é fundamental para saber para qual público este ponto de venda está estruturado.

Deve-se pensar em questões como: a loja é para carros de passeio, carros utilitários, pick-ups, famílias ou jovens? Qual é o poder aquisitivo dos clientes esperados? Quais linhas de produtos serão comercializadas? Quais serviços serão entregues aos clientes? A loja é para algum público específico como, por exemplo, customização de veículos? Dentre outras questões.

CSP: Além da vitrine, propriamente, que outros aspectos visuais precisam ser trabalhados?

FA: A fachada é o elemento que fará a primeira comunicação com os consumidores-alvo. É preciso escolher bem as cores, a logotipo da marca, marcas conhecidas que serão comercializadas e que podem ser atrativas de público. Em função da posição do imóvel, deve-se pensar também qual será o equipamento utilizado na fachada. Onde será instalada? Quais materiais farão parte da fachada para atrair a atenção dos consumidores-alvo? Tudo isto deve ser pensado, pois os materiais podem passar muitas informações subliminares. Lâmpadas de led na fachada e materiais como aço, por exemplo, podem mostrar a existência de produtos com alta tecnologia. Já materiais mais simples direcionem para uma loja com produtos mais acessíveis voltados para classes C e D.

CSP: Quando falamos de aspecto visual, que outros fatores são fundamentais além da limpeza do local?

FA: Além da limpeza do local, a organização também é um ponto importante. Em uma loja de serviços, como a de instalação de acessórios, por exemplo, é fundamental que se tenha muita organização antes, durante e depois da execução dos serviços, a fim de criar toda comunicação de qualidade que pode ser transmitida – desde o uniforme dos funcionários, as ferramentas limpas e organizadas, até a área de execução do serviço devidamente limpa, demarcada e organizada.

Na área de espera do cliente, devemos deixar expositores com todos os acessórios e equipamentos comercializados e principalmente as promoções. Este espaço deve ser muito bem planejado, pois, enquanto o cliente aguarda, pode ser estimulado a adquirir outros produtos e serviços ou realizar upgrade de produtos – ou seja, adquirir produtos de categoria superior ou simplesmente produtos mais caros e de maior qualidade ou custo benefício melhor.

CSP: Como uma loja pode reinventar seu aspecto visual sem deixar de lado sua identidade?

FA: O primeiro ponto é sempre lembrar as questões relacionadas ao público. Se a loja é nova, deve-se trabalhar sendo fiel a eles e à identidade da loja. No caso da loja já existente, é importante revisitar os pontos mencionados e fazer as alterações que quiser, mas sem perder a identidade de vista (logomarca, cores e comunicação que se quer passar). Nesse caso, o empresário pode fazer pequenos ajustes, mas sempre tendo em mente quem é seu cliente etc.

 CSP: É possível fazer um upgrade no visual da loja sem que seja necessário um grande investimento financeiro para tal?

FA: Nesse caso, a grande aliada do empresário é a pintura. A limpeza da fachada simplesmente também já é importante, pois grande parte das lojas não se preocupa com a comunicação visual externa e, quem se preocupa acaba se destacando entre as demais. Na parte da comunicação dos serviços e produtos, além dos materiais de trade marketing, que normalmente as marcas fabricantes disponibilizam, é importante saber quais são os maiores fornecedores e buscar parcerias para fazer adesivagem interna, por exemplo, modernizando e atualizando a loja.

CSP: Falando sobre vitrines, quais dicas podemos dar aos lojistas a respeito da escolha dos produtos que a compõe?

FA: Vitrine é a melhor ferramenta para realizar a comunicação com os consumidores. A primeira dica é ter uma amostra de cada tipo de linha de produto comercializado na loja. Caso trabalhe com várias linhas, é importante deixar um de cada para mostrar a profundidade ou a variedade ao consumidor. Ou seja, mostrar as opções de produtos disponíveis. A segunda dica é: caso os produtos sejam muito pequenos, são necessários alguns materiais ou equipamentos de apoio, como displays – que a maioria dos fabricantes disponibiliza. Quanto aos serviços, pode-se preparar cartazes e banners dentro da vitrine. É possível ainda trabalhar com a comunicação visual aérea – aquela que fica normalmente pendurada no teto da loja. Nesse caso, é importante respeitar o recuo obrigatório pela legislação da prefeitura da sua cidade.

CSP: E de iluminação?

FA: A iluminação é importante desde a fachada, para lojas que trabalham com horários mais flexíveis e ajudam a comunicar o ponto comercial mesmo com a loja fechada. Na vitrine ela é indispensável e, de uma forma geral, a loja deve sempre estar bem iluminada. Em cada parte da loja a iluminação tem um papel diferente e deve ser pensada para o objetivo específico. Por exemplo, além da iluminação na área de execução dos serviços funcionar como um apoio para seu funcionário, nas áreas de espera do cliente, devem proporcionar conforto, em um espaço com água, café, TV, revistas e sofás limpos em bom estado de conservação e no local apropriado.