Saiba como transformar um e-commerce em uma loja virtual bem sucedida

Consultor do Sebrae revela pequenos diferenciais que podem ajudar a transformar um e-commerce em uma loja virtual bem sucedida

Reportagem: Vitor Giglio
Foto: Divulgação

Que a internet leva muito mais pessoas a conhecerem a sua loja a gente já sabe. Entretanto, se a ideia é comercializar online, é preciso que seja ofertado ao consumidor muito mais que apenas bons preços e prazo de entrega.

É para saber como elaborar uma loja virtual eficiente que conversamos com Adriano Campos, consultor do Sebrae-SP.

Em entrevista que você acompanha a seguir, Adriano explica quais aspectos devem ser considerados na criação de um e-commerce e quais são os principais diferenciais responsáveis por transformar uma lona online em um sucesso de vendas e de aceitação por parte dos clientes. Confira!

Car Stereo Profissional: Adriano, quais são os principais atributos que diferenciam um ótimo e-commerce de um e-commerce medíocre?

Adriano Campos: As melhores lojas virtuais primam por: qualidade visual (fotos, vídeos, identidade e padrão visual, etc.); descrições completas e persuasivas de seus produtos; disponibilidade e agilidade para o atendimento ao cliente; segurança para as transações financeiras e para entrega; criação de conteúdos originais e relevantes e adaptação para dispositivos móveis.

Por outro lado um e-commerce qualquer não costuma valorizar detalhes críticos para oferecer confiança para o consumidor, ex: fotos amadoras, dificuldade de encontrar informações, ausência de prazos de entrega, entre outros.

CSP: Até que ponto aspectos como layout e navegação intuitiva contribui para um e-commerce de sucesso?

AC: Esses aspectos contribuem demais para o sucesso de uma loja virtual. Existem pesquisas que apontam que o tempo de carregamento das páginas e a dificuldade de encontrar a lógica de navegação são capazes de fazer a maior parte dos internautas abandonarem uma loja após poucos segundos.

Hoje em dia as pessoas estão muito imediatistas e não gostam da sensação de perda de tempo quando navegam em páginas confusas e que não passam sensação de segurança. É muito mais fácil voltar para o buscador e visitar a próxima página. É muito comum pequenas lojas virtuais terem produtos e preços atraentes, porém não se preocuparem em oferecer boa experiência de navegação. Essa situação leva a evasão de grande parte dos visitantes.

CSP: O foco apenas no preço e nas formas de pagamento pode ser suficiente para criar um e-commerce de sucesso ou outros aspectos são igualmente fundamentais?

AC: Preço e formas de pagamento são muito importantes, porém não são os únicos elementos que influenciam a decisão de compra. As lojas que se baseiam apenas nestes dois atributos correm o risco de fracassar. Há um conjunto de diversos outros pontos importantes a serem considerados, por exemplo: usabilidade, layout, conteúdo, fotos, logotipia, operação logística, ações promocionais, entre outros.

CSP: Em uma pequena empresa, é aconselhável que o proprietário cuide pessoalmente de seu e-commerce, terceirize tudo o que for necessário ou contrate um profissional especialmente para esta função? Por quê?

AC: Não é raro o empreendedor montar sua própria loja virtual sozinho acreditando que não precisa de apoio especializado pois já atuava na área. De fato, ter experiência na área é um bom diferencial, no entanto, a operação de uma loja virtual pode ser tão ou mais complexa do que uma loja física.

Considerando que a maior parte dos empreendedores de pequeno porte não possui experiência em comércio eletrônico é importante contar com mão de obra especializada e buscar sua própria capacitação para aumentar as chances de sucesso. Ter equipe própria é uma ótima ideia, porém, eleva os custos. Por sua vez, terceirizar pode sair mais em conta, no entanto, não permite ter controle total sobre os profissionais. Seja lá qual for a decisão da empresa é importante que o dono se envolva sempre.

CSP: Quais são as melhores formas de divulgar e promover um e-commerce?

AC: A divulgação deve sempre ser pensada em função do público que a empresa pretende alcançar. Porém algumas dicas podem ser úteis para todos: Produzir conteúdo original e criativo facilita a exposição nos buscadores e pode sensibilizar o visitante; criar ações promocionais para destacar produtos, novidades e lançamentos; aproveitar as redes sociais para expor a marca e se relacionar com clientes; realizar parcerias com outras marcas, blogs e canais de vídeos; manter relacionamento com clientes atuais (newsletter, programa de fidelização, eventos, etc.); e conhecer e avaliar mídias pagas.

CSP: É correto manter preços diferentes para quem compra via e-commerce e para quem compra o mesmo produto na loja física? Por quê?

AC: Manter preços distintos é uma estratégia que pode ser adotada. Em geral ela pode ser boa no lançamento da loja virtual de forma a torná-la mais conhecida ou quando a empresa quer “desafogar” o atendimento presencial. Em alguns casos o custo de venda à distância é mais favorável e a empresa consegue oferecer preços mais competitivos.

No entanto, é necessário monitorar a percepção dos clientes que continuam visitando presencialmente a loja, pois estes podem se sentir desprestigiados se a política de preços não for transparente.

CSP: Quais são os erros cometidos mais comuns por empreendedores no que diz respeito à criação de um e-commerce?

AC: A principal falha é não dimensionar corretamente qual é a melhor plataforma em termos de funções, capacidade registro de produtos (itens, fotos, vídeos, etc.) e de operações financeiras. É bastante comum notar que, a medida que a loja cresce, algumas limitações passam a se tornar problemas sérios já que não ter adotado a ferramenta correta pode fazer o empreendedor tomar a decisão de abandoná-la e iniciar uma nova operação em outra tecnologia. É crucial contar com apoio especializado no momento dessa escolha.

CSP: Em quais aspectos o SEBRAE pode ajudar os empreendedores na criação ou aperfeiçoamento de um e-commerce?

AC: O SEBRAE-SP oferece um grande leque de capacitações e soluções empresariais para quem está planejando ou operando uma loja virtual: cursos e consultorias especializadas (presenciais e a distância), além de conteúdos voltados para gestão de pequenos negócios. Algumas soluções são:

– Consultoria gratuita especializada em marketing e administração (inscrição via 0800-570-0800 ou www.sebraesp.com.br);

– Curso de educação à distância – Internet para pequenos negócios (https://ead.sebrae.com.br/cursos/internet-para-pequenos-negocios)

– Curso presencial “Na medida – internet” (18 horas, sendo 2h individuais).