Inserido no universo do som de qualidade, proprietário de Golf MK7 prova que também entende muito de velocidade 

Texto: Vitor Giglio
Fotos: Ricardo Kruppa 

O Volkswagen Golf é indiscutivelmente uma das paixões nacionais quando o assunto é automobilismo. Seu viés esportivo é talvez o principal chamariz para os ávidos por personalização. Seja uma preparação mais bem elaborada, um novo conjunto de rodas, ou novos acessórios: o modelo oferece um leque quase que infindável de possibilidades.

O MK7 GTI 2014 que ilustra esta reportagem pertence ao publicitário paulistano Alex Gebara, 27 anos. Alex tem no modelo a sua principal customização, que por sua vez é fruto de muitos outros projetos, testes e dedicação em compreender tudo o que a personalização é capaz de oferecer.

Evolução

Alex conta que a personalização automotiva é um hobby já antigo. “Eu comecei, acredito que como todo mundo, com sistemas de áudio básicos. No momento a gente acha que é bom, mas, aos poucos, vai reconhecendo defeitos. Conforme vamos conhecendo mais os equipamentos e a diferença que uma instalação é capaz de fazer, vamos buscando o aperfeiçoamento”, conta.

No caso, o aperfeiçoamento veio com o estreitamento de relações com Rodrigo de Paula, da Code Audio, de Guarulhos (SP). “Eu já conhecia o Rodrigo de alguns campeonatos de som e sempre recebi ótimas referências a seu respeito. Fui procurá-lo quando cheguei à conclusão de que precisava de um som melhor, definitivamente”, explica Alex.

Cada vez melhor 

Os primeiros passos do publicitário dentro do universo do som de qualidade foram dados dentro de um Civic SI. O projeto foi sucedido por um Subaru WRX até que, enfim, chegasse a vez do Golf, que ostenta parte do projeto anterior, com nítidos upgrades.

Rodrigo de Paula, responsável pelo sistema, classifica o som do Golf como “um legítimo competidor de campeonatos de qualidade de som”. É pouco?

A configuração atual tem na unidade principal original sua fonte de sinal. No interior, apenas um kit faz a reprodução: um duas vias Morel Elate. Engana-se, porém, que tudo é assim tão simples quanto parece. “Criamos, além do direcionamento, um acabamento para o tweeter, em resina e acrílico, iluminados por LED. Queríamos um design que acompanhasse os atributos do carro, sem que a originalidade fosse em qualquer quesito comprometida”, afirma Rodrigo. Tratamento acústico com manta asfáltica STP nas portas dianteiras foi outra modificação na cabine do Golf.

Impecável

É em um ambiente extremamente organizado e clean que os demais componentes do “projeto digno de disputar campeonatos” foram posicionados.

Na parede esquerda do compartimento foi criada em uma caixa selada de 12 litros para abrigar o subwoofer de 8” da Image Dynamics.

Dois amplificadores Genesis de quatro canais e processador de áudio Alpine H800 foram posicionados no assoalho e dividem a superfície com o característico acabamento com o logo da loja. Os cabos são Sonnus, da Audison.

Outros pormenores do projeto são lembrados por Rodrigo. “O sistema foi ajustado por RTA e nele é importante destacar a organização de palco. O sub é focado no painel e o conjunto, como um todo, desce bem. O cone menor do sub faz com que ele seja muito veloz”, enumera.

Velocidade do som

Depois de um projeto tão minucioso e bem montado de áudio, era de se imaginar que não houvesse os mesmos cuidados e critérios com os demais acessórios presentes na customização.

Entretanto, quem acessa a pequena, porém caprichada lista de modificações mecânicas, percebe que Alex entende, também, de preparação.

Para começar o chip foi remapeado e o filtro de ar foi substituído temporariamente por um modelo custom da Unitronic. Isso porque a mesma empresa aguarda a chegada ao país de um de seus modelos, de fibra de carbono, para utilizá-lo de maneira definitiva.

Intake de inox e novo sistema de escape com difusor traseiro custom são outras importantes modificações. O modelo é calçado por redondas Sparco Assetto Gara, de 18”, e pneus Advan Neova, de medidas 235x45x18.  São cerca de 335 HP à disposição do ímpeto de Alex na condução, mas acredite, isso ainda não é tudo.

Invocado

Você acha que já viu esse visual adotado pelo Golf em algum lugar antes? Deve ter visto mesmo. Trata-se do conjunto visual adotado pela Martini Racing desde a sua entrada no universo das competições, em 1968.

A Martini, fabricante italiana de bebidas, passou a patrocinar algumas equipes, de categorias diferentes do automobilismo, a partir do final dos anos 60.

Sua marca tornou-se ainda mais conhecida no meio a partir da parceria com os modelos Porsche e Alfa Romeo, durante os anos 70, na tradicional 24 horas de Le Mans.

Apaixonado pelo pacote visual e já predisposto a adotar essa identidade, Alex apenas teve mais certeza ainda quando, a partir do ano passado, a Martini passou a estampar a Williams, no circuito mundial da F1. Desnecessário dizer que, em diversos sentidos, o MK7 de Alex é único. E também levanta a bandeira da customização completa, algo que nos acostumamos a ver nos últimos anos, mas que tem perdido espaço para projetos de “modificações pontuais”.  Nota 10!

DEIXE UMA RESPOSTA